Relacionamento

Como ajudar um parceiro deprimido: estratégias de apoio

Viver com um parceiro que tem depressão pode ser uma experiência profundamente desafiadora para ambas as pessoas. É por isso que, para aqueles em um relacionamento, entender os sintomas e efeitos da depressão é crucial para fornecer o suporte certo.

Este artigo explora os sinais comuns de depressão, oferece dicas de comunicação e enfatiza a importância de buscar ajuda profissional quando necessário. Saiba mais abaixo.

Quais são os sintomas da depressão?

Aqui está uma rápida visão geral dos sintomas:

  • Dificuldade em manter relacionamentos saudáveis
  • Envolver-se em comportamentos de risco, como sexo desprotegido, abuso de substâncias e ações imprudentes
  • Alterações em padrões de sono
  • Mudanças nos hábitos alimentares, que podem levar a flutuações de peso
  • Atividades restritas como retirada de interações sociais e uma falta de interesse em atividades anteriormente apreciadas
  • Sentimentos persistentes de tristeza ou desesperança que duram semanas

Esses sintomas podem tornar a navegação em um relacionamento romântico – que já é uma tarefa complexa – ainda mais exigente. Isso significa que pode ser difícil resolver as coisas com seu parceiro.

Ter pouca energia pode tornar mais difícil para um parceiro com depressão permanecer produtivo, o que pode afetar tarefas como ajudar nas tarefas domésticas ou agendar compromissos. Também pode ser um desafio fazer com que se envolvam em atividades diferentes daquelas que normalmente preferem.

Dicas de comunicação para apoiar seu parceiro

Algumas das melhores sugestões e táticas para se comunicar com um parceiro incluem:

  • Usando Declarações “eu”: Em uma declaração “eu”, você compartilha seus sentimentos sobre um comportamento claramente observado sem atribuir culpa ou culpa. Por exemplo, “Eu me sinto preocupado quando não tenho notícias suas há várias horas.”
  • Evitando o uso de declarações “você”: As declarações “você” são o oposto das declarações “eu”, pois se concentram nas ações de outra pessoa, e não nos seus sentimentos. Eles podem ser percebidos como agressivos e muitas vezes implicam culpa ou responsabilidade. Um exemplo de afirmação “você” é: “Você nunca me liga ou me responde”.
  • Fazendo solicitações simples: Dê uma breve explicação do que você quer e por que para ajudar seu parceiro a entender suas necessidades. Por exemplo: “Estou me sentindo super cansado hoje. Você pode cuidar de levar o cachorro para passear?”
  • Usando habilidades de espelhamento/reflexão: As habilidades de reflexão, às vezes chamadas de espelhamento, ocorrem quando reafirmamos as declarações e sentimentos de uma pessoa. O espelhamento é uma ótima maneira de ajudar uma pessoa a se sentir validada e ouvida.

Habilidades de escuta ativa também podem ser uma ótima maneira de ajudar um parceiro a se sentir ouvido e validado. Algumas habilidades são:

  • Habilidades de reflexão: Refletir sobre declarações e sentimentos mostra que estamos presentes durante a conversa.
  • Fazendo perguntas:Fazer perguntas para entender melhor suas experiências.
  • Esteja presente na conversa:Isso significa limitar as distrações e garantir que nossas pistas não verbais mostrem que estamos interessados ​​na conversa

Evite mais agressivo estratégias de comunicação como culpar, menosprezar e retirar apoio. Muitas pessoas que enfrentam a depressão sentem que já estão sozinhas e isoladas.

Estratégias de comunicação agressivas podem alimentar o pensamento negativo e prejudicar a relação.

Expressando empatia e compreensão

Expressando empatia e compreensão para qualquer parceiro é importante, mas especialmente se eles estão lutando com sua saúde mental. É o objetivo final de usar fortes habilidades de comunicação. Embora não cure a depressão, pode ajudar a aliviar um pouco da solidão deles, mostrando que você está presente com eles.

Usar habilidades de empatia cria um ambiente sem julgamentos que permite que outros se sintam confortáveis ​​expressando seus pensamentos e sentimentos. Pode ajudá-los a se sentirem fortalecidos para tentar coisas diferentes.

Além disso, oferece espaço para discutir o que está acontecendo no relacionamento e o que cada parceiro precisa para ter sucesso.

Fornecendo apoio emocional e incentivo

Estar em um relacionamento significa fornecer apoio emocional um ao outro. Ao apoiar um parceiro durante um episódio depressivo, é importante estar presente com ele em suas lutas. Em vez de tentar tirá-los dessa situação, estar ao seu lado pode fazer uma grande diferença. Dessa forma, eles não se sentem sobrecarregados ou como se não conseguissem acompanhar.

Encontrar as pequenas vitórias na sua recuperação pode ser muito poderoso, pois gera impulso e pode então resultar em mais vitórias. Pode ser útil identificar os gatilhos da felicidade (coisas e atividades baseadas em nossos sentidos). Enviar mensagens de texto como gatilho de felicidade ao longo do dia, mesmo que seja um pequeno check-in, pode ajudar a melhorar o humor.

Reconhecendo os limites do suporte

Fornecer apoio a alguém que vive com depressão pode ser muito desgastante às vezes. Pode haver limitações sobre o que um parceiro está disposto ou é capaz de fazer. Pode ser por causa seu passado e ter experiências negativas cuidando de outras pessoas, limitações financeiras ou de tempo, bem como seus próprios desafios que precisam superar.

Também é importante considerar a área onde se vive, onde receber alguém (ou visitar alguém) pode ser um desafio devido à distância.

Saber quando procurar ajuda profissional

Saber quando procurar ajuda profissional pode ser difícil de identificar. A hora de procurar ajuda profissional é quando as coisas parecem super difíceis. Há mais dias ruins ou desafiadores e a depressão parece “fora de controle”. Medicamento também pode ser apropriado.

Pense nos medicamentos como aquelas portas automáticas do supermercado que fecham muito rapidamente: os medicamentos os retardam, facilitando a entrada. Em outras palavras, os medicamentos podem facilitar o uso de habilidades de enfrentamento e o controle dos sintomas. Isso não substitui a necessidade dessas habilidades ou terapia, mas pode tornar mais administrável o processo geral de se sentir melhor.

Obtenha ajuda imediata

Se você ou seu parceiro estiverem tendo pensamentos ou sentimentos suicidas, ligue 988 (Suicide & Crisis Lifeline) ou vá ao pronto-socorro mais próximo.

Explorando o impacto nos relacionamentos

Conforme discutido acima, a depressão pode ser difícil para quem está em um relacionamento. Pode haver sentimentos de ressentimento quando uma pessoa faz a maior parte das tarefas domésticas enquanto a outra administra a depressão. Se a depressão for suficientemente grave, pode haver fadiga do cuidador devido ao constante apoio e cuidado do parceiro enquanto a mudança é lenta.

Pode ser difícil fazer coisas porque um dos parceiros raramente se sente bem o suficiente para fazer coisas, especialmente hobbies que o casal fazia juntos. Como tal, pode criar muita tensão no relacionamento porque é desequilibrado, especialmente se a depressão já dura há muito tempo.

Às vezes, os casais se beneficiam ao fazer terapia juntos para trabalhar, enquanto aprendem como regular a depressão juntos e também como apoiar melhor um ao outro.

Incentivando o autocuidado e o bem-estar

Autocuidados é primordial, seja o parceiro deprimido ou o cuidador. Se sentimos que estamos desmoronando, não podemos dar aos nossos parceiros o apoio de que precisam ou o que queremos fornecer a eles. Podemos ficar doentes ou feridos também. Como tal, não há vergonha em praticar o autocuidado.

A maneira como cuidamos de nós mesmos varia um pouco dependendo da pessoa, incluindo:

  • Descanso físico: Dormir o sono que precisamos e também reservar um tempo para relaxar.
  • Descanso mental: Dando um descanso ao nosso cérebro, assim como coisas que achamos interessantes.
  • Descanso social: Passar tempo com amigos e familiares traz à tona o que há de melhor em nós e desfrutamos de sua companhia.
  • Descanso espiritual: Conectar-se ao nosso poder superior e/ou ao mundo que nos rodeia (trabalho voluntário).
  • Descanso sensorial: Fazer coisas que acalmem nossos sentidos, como estar na natureza ou receber uma massagem.
  • Descanso criativo: Expressando-nos seja colorindo, desenhando ou até mesmo ouvindo música.
  • Descanso emocional: Aceitar nossas emoções e trabalhar para processá-las.

Aconselhamento sobre depressão na Thriveworks: terapia individual e de casal

Escolher o terapeuta certo na Thriveworks pode melhorar significativamente o bem-estar do seu parceiro e o seu relacionamento. Considere selecionar um terapeuta com características como mesma raça, sexo ou outros atributos para ajudar a criar um ambiente confortável e compreensivo.

Por exemplo, as mulheres podem preferir terapeutas femininase membros do LGBTQ+ comunidade pode procurar terapeutas que compartilhem sua identidade. A primeira sessão normalmente aborda as preocupações e objetivos do seu parceiro, proporcionando um início confortável.

Os terapeutas da Thriveworks são acolhedores e fáceis de conversar, aliviando qualquer nervosismo sobre o início da terapia. Lembre-se, encontrar o terapeuta certo pode levar tempo. Não tem problema trocar de terapeuta para encontrar o melhor par.

A equipe de suporte da Thriveworks está disponível 7 dias por semana para auxiliar neste processo. Começar a terapia é um passo corajoso que pode levar a melhorias significativas no bem-estar mental.

Mostra um compromisso consigo mesmo e com o relacionamento, abrindo caminho para uma vida mais saudável e plena. Se o seu parceiro está passando por depressão, agendar serviços de saúde mental oferecerá a ajuda e assistência extras que somente um profissional pode fornecer.